05 out 2019

Perigo! Nossos hábitos de vida acionaram uma bomba atômica!

“O hábito é como uma corda. Nós tecemos um fio dela a cada dia e, finalmente, não conseguimos mais rompê-la.” (Horace Mann)

Você sabia que o nosso cérebro pesa algo em torno de 1,3kg e consome até 25% das calorias do nosso organismo? Essa relação de proporcionalidade nos diz que se o nosso cérebro “ficar trabalhando” 100% do tempo, vai ficar sobrecarregado e acabar pifando mais cedo ou mais tarde! E quando isso acontecer, vamos sentir cansaço, estresse e esgotamento mental.

Isso significa que, por natureza, nosso cérebro está programado para poupar energia! E ele faz isso criando hábitos! Quando fazemos algo repetidamente a tal ponto que se torna robótico e automatizado, um novo hábito é criado. E ao criarmos um novo hábito, não precisamos mais gastar muita energia ou demandar um grande esforço para executá-lo. Como escovar os dentes, por exemplo – simples, rápido, automático.

O fato é que a conjuntura dos hábitos da nossa sociedade tem me preocupado bastante! E digo isso por alguns motivos! A começar pelo consumo de açúcar! Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), nos últimos 15 anos o brasileiro quase dobrou seu consumo, o que significa quase três vezes mais do que a média mundial.

E o problema não está só no açúcar! Com a vida corrida dos grandes centros, as pessoas estão buscando cada vez mais a praticidade das redes de fast food, dos produtos congelados e dos produtos industrializados para se alimentar. São mais rápidos, mais práticos, mais baratos e mais acessíveis. E contêm uma quantidade absurda de sal e sódio, o que significa um prato cheio, literalmente, para a obesidade!

Hoje, um em cada cinco brasileiros são considerados obesos. E os dois pilares para essa tragédia é a alimentação não saudável e a falta de atividade física.

Por falar em atividade física, temos outro agravante: hoje, temos tudo muito fácil e rápido, bem na palma da nossa mão, há apenas um click de distância! Antes a gente caminhava mais, se movimentava mais, brincava mais, gastava mais energia com o corpo em movimento! Agora não! Isso, porque, junto com todas as facilidades e as maravilhas que os smartphones nos trouxeram, também veio uma clara tendência de nos movimentar menos!

Pra completar o pacote, também estamos vivendo na era do compartilhamento, da exposição, da intersecção entre vida real e virtual. Compartilhamos nossas vidas com pessoas que nem conhecemos. Temos milhares de amigos virtuais! São pessoas com vidas superlegais e excitantes, repletas de viagens incríveis, cheias de amigos, sempre felizes e sorridentes, são bem-sucedidas financeira e profissionalmente. Quanta perfeição! E quando eu comparo tudo isso com a minha vidinha simples, me sinto mal. Sinto tédio. Sinto inveja. Minha autoestima cai!

Sim, também estamos vivendo na era da perfeição, na busca desenfreada pelo sucesso! As pessoas andam pressionadas por si mesmas para se destacarem! Querem ter a vida perfeita, o emprego perfeito, a casa perfeita, o corpo perfeito, a família perfeita! E querem que as outras pessoas vejam essa perfeição! Muitas vezes, a busca por essa perfeição exerce uma pressão psicológica muito forte! E toda essa pressão pode ser o estopim para desencadear outros tipos de doenças como a ansiedade, o estresse e até a depressão.

Não à toa, o Brasil estrela na primeira posição mundial em casos de ansiedade! Um em cada cinco brasileiros relataram sintomas de depressão nos últimos doze meses. E o dado mais alarmante: hoje, ocorre um suicídio a cada 40 segundos no mundo! Pessoas morrem mais por suicídio do que por guerra ou roubo!

Todos esses hábitos, acionaram uma bomba atômica na nossa sociedade!

Por outro lado, diante deste panorama tenebroso existe uma boa notícia que nos traz esperança: a prática de atividade física no tempo livre cresceu, mesmo que timidamente, de 30% para 38% entre 2009 e 2016. E a atividade física aparece como um antídoto nesse cenário!

Sim, ao praticarmos atividade física, produzimos uma série de enzimas que afetam diretamente o nosso humor, a nossa disposição, a nossa vitalidade e o nosso bem-estar. Eles atuam como uma espécie de “superpoderes” para o nosso corpo, para a nossa mente e para a nossa alma!

Os hábitos que escolhemos praticar ditam a qualidade da nossa vida! Para criarmos novos hábitos, precisamos querer mudar! E a real mudança vem de dentro para fora. Não vem do cuidado com as “folhas” da atitude! Vem do trabalho com as “raízes” – a trama do pensamento e dos paradigmas, que criam as lentes pelas quais vemos o mundo. Ao plantarmos a semente e regarmos a terra, percebemos o crescimento real e um dia sentiremos o sabor dos deliciosos frutos de uma vida plena!

4 thoughts on “Perigo! Nossos hábitos de vida acionaram uma bomba atômica!”

  1. Brilhante! Sempre aprendo muito com os textos do Roberto! O Roberto nos inspira a melhorar, a cuidarmos melhor da saude do nosso corpo e mente. Gratidao!!!???

  2. Muito interessante está matéria, pois, aqui no sul, tem um índice muito alto de depressão e crise de ansiedade… Número muito preocupante, até mesmo pelas pessoas que conheço.
    Procuro sempre interagir principalmente com essas pessoas.

  3. Perfeito Roberto. Por incrível que pareça, com a rotina do dia a dia sempre deixamos pra amanhã e nos esquecemos, que o nosso amanhã depende do hoje… Gratidão pela oportunidade que nos dá com seus posts e por trazernos de uma forma lúdica pra realidade… Precisamos disso e vc faz isso como ninguém….. Parabéns!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *